Comportamento

10 doenças mentais que não devem ser confundidas com traços de caráter

Temos o hábito de explicar a nós mesmos o comportamento estranho e incomum das pessoas ao nosso redor com seu caráter. “Bem, eles são assim mesmo!” Dizemos para nós mesmos. No entanto, às vezes as esquisitices são um problema muito mais sério.

Os psicoterapeutas americanos Aaron T. Beck e Arthur Freeman revelam alguns segredos sobre a natureza humana em seu livro “Cognitive Therapy of Personality Disorders”.

Aqui estão algumas de suas observações mais interessantes reunidas nesses 10 traços de caráter, que às vezes são um sinal de problemas sérios.

10 doenças mentais que não devem ser confundidas com traços de caráter.

Se sonhos de descanso e longas férias fossem um sinal de transtorno mental, 99% das pessoas seriam classificadas como “loucas”.

Mas se você conhece uma pessoa que está constantemente atrasada para o trabalho, negligencia suas funções, muitas vezes tira licença médica, fica para trás em suas tarefas, não cumpre suas promessas e inventa todo tipo de desculpas absurdas para o trabalho inacabado, provavelmente não é só ” caráter travesso “, e para um problema psicológico que requer atenção.

Outros sinais são:

Essas pessoas não se importam de viver nas costas dos outros.

Eles não têm planos para o futuro.

Eles fazem compras imprudentes e muitas vezes desperdiçam dinheiro em coisas sem importância, desde que tenham compras mais urgentes ou contas de reembolso.

Se você se encontra nesse tipo de comportamento, deve saber que os psicólogos recomendam que você comece a manter uma programação e a estruturar o seu dia.

Anote o que você precisa fazer a cada dia, quais são seus objetivos e o que você receberá (por exemplo, um presente, um prêmio simbólico) se concluir todas as tarefas da semana.

Com o tempo, isso se tornará um hábito e você começará a viver mais organizado. Outro método recomendado pelos psicólogos é anotar o problema com o qual você está lutando atualmente e indicar todas as soluções possíveis. Isso tornará mais fácil para você aceitar e lidar com isso.

2-Timidez excessiva

Pessoas tímidas não são poucas – você as reconhecerá ao conhecer uma nova pessoa, por exemplo. Não há nada de estranho nisso, mas se nos impedir de relacionamentos sociais normais, se nos recusarmos a lutar contra isso, pode levar ao isolamento completo e à falta de vontade de se encaixar no mundo.

Pessoas que estão à beira de uma doença mental param de sentir emoções fortes e evitam o contato com outras pessoas, por isso optam por trabalhar em casa ou fazer coisas que não requerem comunicação.

Uma forte introversão pode levar a:

  • Indiferença às críticas e elogios.
  • Falta de amigos íntimos.
  • Tendência ao devaneio e visão irreal do mundo.

Hipersensibilidade, que tentam esconder dos outros com medo de serem ridicularizados.

Se você acha que essas linhas se aplicam a você e não quer que o problema se aprofunde, terá que se esforçar e estar entre as pessoas.

As atividades em grupo podem ser estressantes, mas são extremamente úteis nesses casos. Você pode se inscrever em aulas de desenho, aprender um novo idioma, fazer ioga, dançar, etc.

Tente se comunicar mais ativamente com pelo menos duas ou três pessoas no novo local que você escolheu, e não tenha medo – de acordo com psicólogos, as pessoas são muito mais favoráveis ​​a nós do que pensamos.

3- Adiamento constante de tarefas

Existem pessoas que são apenas preguiçosas. Todo mundo está tentando adiar alguma atividade desagradável para mais tarde.

Aqui, entretanto, estamos falando de casos em que uma pessoa adia até mesmo seus deveres mais básicos, porque simplesmente não pode suportá-los.

O adiamento constante de nossas obrigações pode levar a um comportamento passivo-agressivo e à depressão crônica. Os seguintes sintomas indicam que você pode ter um problema:

Aborrecimento por ter que fazer algo não muito agradável, o que é normal para a maioria das pessoas, como lavar louça, levar o cachorro para passear, tirar o pó, ligar a máquina de lavar, jogar o lixo fora, ligar um aspirador de pó, etc. .

Você faz seu trabalho devagar e com má qualidade (por meio dos dedos).

Você ficará ofendido se alguém o aconselhar sobre como fazer seu trabalho com mais rapidez e eficiência.

Você faz críticas imerecidas às pessoas que têm mais poder do que você.

Se você está familiarizado com algum dos itens acima, é hora de controlar sua vida e começar a organizar totalmente o seu tempo.

Faça uma programação para cada dia. Não precisa ser muito ambicioso, é mais importante segui-lo para criar uma rotina.

Pense em como seria bom terminar suas tarefas e ficar livre para fazer o que quiser sem se preocupar em ficar para trás.

4- Impulsividade e fácil irritabilidade

A irritabilidade não é uma qualidade agradável. Às vezes, porém, ele fala de algo mais do que uma natureza desagradável e impulsiva.

Pessoas que não fazem um esforço para controlar sua raiva correm maior risco de desenvolver um transtorno de personalidade.

Um sintoma típico desta doença é uma mudança brusca de humor, bem como uma mudança de opinião sem causa.

Por exemplo, hoje eles dizem que odeiam ovos fritos, e amanhã eles fazem ovos fritos no café da manhã. Os seguintes sintomas requerem cuidado:

Amizades e casos de amor instáveis ​​e voláteis.

Compras imprudentes frequentes.

Condução agressiva.

Mudanças de humor sem motivo e um sentimento constante de tédio e tédio.

O que você pode fazer – terapia profissional e exercícios de autocontrole. Tente reduzir compras desnecessárias.

Por exemplo, se você pretende comprar uma máquina de café e conseguir fazer sem comprar na loja e um monte de coisas desnecessárias em volta, você merece ser recompensado com algo que sonha há muito tempo.

5- Autocrítica implacável

É muito bom que uma pessoa seja autocrítica, exija mais de si e não tente a todo custo achar uma desculpa para seus erros. Isso nos ajuda a nos desenvolver e crescer como indivíduos.

No entanto, a autocrítica em alta dose pode ser um indicador de problemas sérios. Aqui estão alguns sinais alarmantes desse tipo de transtorno mental:

Forte intolerância a críticas ou desaprovação, acompanhada de sentimentos de insulto.

Evitar novos conhecidos, que beira o absurdo (por exemplo, recusar uma promoção, porque isso significaria trabalhar com gente nova).

Exagero de possíveis dificuldades, riscos e perigos em uma determinada situação.

Reduza a comunicação com os outros por medo de dizer algo errado, para atrair o ridículo.

Nesse caso, seria útil se livrar de coincidências e suposições não confiáveis ​​sobre o que poderia acontecer se … Aconselhamos você a escrever todos os medos e preocupações associados a uma situação em um pedaço de papel.

Por exemplo, “Se eu for à loja tarde da noite, eles vão me roubar”. Em seguida, faça o que quiser e salve o resultado. Eles provavelmente não roubaram você, roubaram?

É quase certo que o resultado será muito mais positivo do que você pensava. Na próxima vez que você tiver medo de fazer algo, abra seu caderno e veja quantas vezes seus medos realmente aconteceram.

6-Suspeita, super-suspeita

De vez em quando somos todos paranoicos e isso é normal, mas algumas pessoas ultrapassam todos os limites em suas suspeitas – sempre procurando algum subtexto oculto, imaginando várias coisas, têm o hábito de espionar, ler e-mails de outras pessoas, vasculhar as coisas de outras pessoas, para procurar sob o bezerro.

Esse comportamento não está dentro dos limites normais e indica um transtorno de personalidade paranóide, especialmente se for acompanhado pelos seguintes sintomas:

Desconfiança dolorosa e inexplicável de seu parceiro.

Procurando um subtexto nas ações mais simples (por exemplo, que o vizinho abaixo bate a porta de propósito para irritá-lo).

Tendência a culpar todos ao seu redor.

Falta de senso de humor e incapacidade de ver as coisas pelo seu lado engraçado.

Uma boa maneira de lidar com a desconfiança crônica é fazer uma lista de seus entes queridos e colocar um ponto vermelho ao lado de seus nomes sempre que atenderem às suas expectativas.

Por exemplo, se você estava com medo de que seu parceiro se esquecesse de você durante a celebração familiar / formação da equipe, mas em vez disso ele prestasse atenção em você o tempo todo.

Da próxima vez que você desconfiar de alguém, preste atenção ao número de pontos vermelhos e você se acalmará.

7-Workaholism

Todos dependemos de nossos entes queridos – isso é inerente à nossa natureza, mas o vício excessivo é conhecido na medicina como um transtorno de personalidade obsessivo / dependente.

O principal sinal dessa doença é que uma pessoa não pode tomar decisões por conta própria sem consultar seus parentes ou seu chefe. Aqui estão mais alguns sinais dessa condição particular:

Concordar com as circunstâncias e com os outros, mesmo que sejam desagradáveis ​​e inaceitáveis ​​para você.

Sentir-se incomodado quando está sozinho e um desejo obsessivo de fazer todo o possível para não ficar sozinho.

Esteja disposto a fazer algo de que você não goste, apenas para agradar a alguém.

Um sentimento obsessivo de que o mundo inteiro está contra você e todos querem prejudicá-lo ou trair sua confiança.

A melhor coisa que você pode fazer nesse caso é fazer uma lista de suas qualidades.

Por exemplo, “Sou um bom motorista” ou “O projeto que você apresentou no escritório hoje foi bom”. Sempre que precisar da aprovação de outra pessoa, examine a lista para ganhar confiança.

8- Excesso de emocionalidade

A hipersensibilidade pode ser um sintoma de um transtorno de personalidade histérica, também conhecido como histeria ou histeria.

O desejo de uma pessoa de ser o centro das atenções é um tanto natural, mas depende de quão longe ele se estende e de quão difícil é para uma pessoa superar o fato de que nem sempre dá certo.

Se você sente raiva ou intolerância quando os holofotes estão voltados para outra pessoa, então você tem um problema.

Aqui estão alguns dos sintomas deste distúrbio:

Necessidade constante de apoio, aprovação e elogio.

Incapacidade de se concentrar em uma tarefa específica por um longo período de tempo.

Uma mudança brusca de humor.

Discursos e discursos emocionantes demais, cheios de pathos, sem fatos e sem raciocínio lógico.

Intolerância ao tédio e monotonia e um desejo de constantemente fazer algo novo e diferente.

Uma das maneiras mais eficazes de lidar com a histeria é trabalhando com um cronômetro. Defina-o para 30 minutos ou uma hora, durante os quais você se define apenas uma tarefa, sem se distrair com outra.

Pode parecer um trabalho fácil, mas para pessoas excessivamente emocionais é uma verdadeira batalha consigo mesmo, porque não as reverte.

É difícil estabelecer metas porque geralmente sonham com algo maravilhoso, mas indefinido e vago.

Portanto, outro método adequado é estabelecer objetivos claros e precisos – por exemplo, “Me educar para trabalhar em dois meses”, “Pular de paraquedas no próximo verão”, “Aprender a preparar risoto”, etc.

9- Perfeccionismo

O perfeccionismo doloroso beira o transtorno de personalidade obsessiva-compulsivo. No cerne desta situação está o fato de que a sociedade valoriza qualidades como autocontrole, disciplina, confiabilidade e cortesia, e muitas pessoas estão obcecadas em atender a essas expectativas.

Este é o momento em que essas qualidades positivas degeneram em uma mania que é difícil de controlar.

Os perfeccionistas devem se preocupar se perceberem estes sintomas:

Relutância em reservar um tempo para si e em descansar por medo de se tornarem improdutivos.

Relutância em jogar fora coisas desnecessárias com o pensamento de que um dia precisarão delas.

Medo patológico de cometer um erro.

O desejo de fazer tudo sozinho, inclusive o trabalho dos outros, porque estão convencidos de que ninguém pode fazer melhor do que eles.

Os perfeccionistas não sabem o que é feriado, por isso os psicólogos recomendam meditar com os olhos fechados todos os dias, com música agradável de fundo, ou frequentar massagens com frequência.

Outro exercício é anotar o que você fez nos dias em que não descansou e nos dias em que encontrou tempo para descansar. Provavelmente, a lista o convencerá de que férias não significam negócios inacabados.

10- Alta auto-estima

É muito importante amar a nós mesmos, mas mesmo esse amor tem seus limites, caso contrário, pode levar ao transtorno de personalidade narcisista.

Essas pessoas, por um lado, se adoram e se consideram as maiores, mas ao mesmo tempo são extremamente suscetíveis à depressão pelo fato de sua autoestima ser falsa e frágil – como uma bolha que pode facilmente estourar.

Aqui estão mais alguns sinais de narcisos humanos:

Eles ficam sobrecarregados de raiva (escondida ou aberta) à menor crítica.

Eles usam outros para atingir seus objetivos.

Eles esperam um tratamento especial (por exemplo, para deixá-los ser os primeiros da fila sem motivo).

Inveja irresistível e sonhos constantes de riquezas incalculáveis.

O principal problema do narcisismo é a grave discrepância entre as expectativas e a realidade, o que leva a sentimentos de insatisfação e inferioridade, mudanças frequentes e abruptas de humor e medo do constrangimento.

Um exercício útil nesses casos é diminuir suas expectativas e definir metas mais realistas que possam ser alcançadas em um futuro próximo. Por exemplo, comprar um bom em vez de sonhar com um carro novo caro.

Fonte: www.obekti.bg

LER MATERIA COMPLETA...
- jÁ participa do nossogrupo no facebook
Botão Voltar ao topo
Share via

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios
Send this to a friend